De Volta ao Jogo (2014) – [2017/014]

john-wick-01

Título original: John Wick – Diretor: Chad Stahelski e David Leich – País: EUA – Ano: 2014

Desde que assisti a 47 Ronin (2013) eu peguei um certo desgosto pelo Keanu Reeves… não que ele tivesse se esforçando muito para fazer filmes bons. Talvez por isso eu nem me importei em assistir De Volta ao Jogo quando saiu no cinema e nem quando foi para home video/TV. Porém, quando anunciaram a continuação, me senti inclinado em ver qual era a do filme e acabei me interessando. Fui assistir e posso dizer que esse é, muito provavelmente, o melhor filme de Reeves desde Matrix Reloaded (2003).

John Wick (Keanu Reeves) abandonou a vida de assassino profissional para viver uma vida pacata e feliz ao lado da mulher que amava. Por um infortúnio do destino, sua mulher acaba falecendo devido a uma doença e, como última ação de amor ao marido, compra um cachorro para lhe fazer companhia após sua morte. Tudo ia muito bem até que Iosef Tarasov (Alfie Allen), filho de um criminoso poderoso, se interessa pelo carro de Wick e decide roubá-lo, sem saber quem ele realmente era. Iosef invade acasa de Wick, o espanca e ainda mata seu cachorro de forma brutal. Completamente envolto por vingança, Wick decide ir atrás de Iosef e não deixará ninguém se meter em seu caminho.

O filme é conduzido como um clássico “filme de vingança” e com aquela pegada do “herói motorizado”. No geral, acaba sendo uma volta aos clássicos filmes de ação sem a cretinice e o nível de galhofa de um xXx: Reativado (2017). Ainda assim, o roteiro não é nada espetacular, mas o elenco e os diretores fazem tudo funcionar. Reeves encarna muito bem um John Wick extremamente melancólico e, ao mesmo tempo, compenetrado. Fica claro a sua vontade de não estar ali, de não estar de volta ao mundo de onde teve que realizar “feitos impossíveis” para sair. O resto do elenco também está muito bem em seus papeis, ainda que seus personagens sejam arquétipos do gênero. Destaque pela participação do experiente Willem Dafoe como o velho amigo de Wick, Macus.

Com uma vasta carreira como dublês e coreógrafos de artes marciais, Chad Stahelski e David Leich aplicaram toda sua experiência “no batente” na hora de dirigir o filme e trazer cenas de ação sensacionais e muito empolgantes. Inúmeros capangas são abatidos por Wick com um festival de tiros, porrada e carros. Agrada também a clara intenção de ampliar o universo do filme materializado e resumido na figura do Hotel Continental. Um mundo onde criminosos vivem por um código de ética e possuem terminologia, moeda e vários costumes próprios que enriquecem o que poderia ser apenas mais uma história de vingança e abrem margem para continuações (que agora sabemos estar para estrear). Esse cenário chega a lembrar as clássicas histórias de pirata e seus códigos de honra.

Keanu Reeves precisava mesmo de um gás após o final de Matrix. Sua filmografia vinha sendo bem inconstante e acho que em John Wick ele encontrou um personagem com o qual combina bem. Chad Stahelski também parece ter encontrado uma franquia para chamar de sua, já que é ele o diretor da continuação. Como curiosidade, vale dizer que Stahelski foi o dublê de Keanu Reeves nos Matrix e que David Leich dirigiu o elogiadíssimo Deadpool (2016). Estamos vendo aí o nascimento de dois diretores de ação com bastante potencial. Ansioso para ver os próximos filmes de ambos. Se mantiverem a qualidade de De Volta ao Jogo, já estará de bom tamanho.

Nota: ★ ★ ★ ★ ☆

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: