O Invasor Americano: Where to Invade Next (2015) — [2017/009]

1-6jtuxs9n7w2uew_1gvwilq

Título Original: Where to Invade Next — Diretor: Michael Moore — País: EUA — Ano: 2015

Michael Moore ficou mundialmente famoso por seu documentário Farenheit 11 de Setembro (2004) onde criticou duramente o governo Bush por não saber o que estava fazendo frente ao ataque terrorista. Embora esse tenha sido seu filme de maior relevância, Moore dedicou toda sua filmografia a tentar mostrar como os EUA não são tão o melhor país do mundo como eles mesmo acreditam ser. Seja através de críticas à crueldade de suas grandes corporações (Roger e Eu, 1989), à cultura das armas (Tiros em Columbile, 2002), ao problemático sistema de saúde (Sicko — $O$ Saúde, 2007) ou até ao sistema capitalista como um todo (Capitalismo: Uma História de Amor, 2009).

Porém, nenhum de seus filmes foi tão ousado como O Invasor Americano. Neste documentário, Moore decidiu satirizar a política intervencionista dos EUA “invadindo” países (majoritariamente europeus) em busca de boas ideias para trazê-las de volta ao seu país. Embora durante o documentário Moore pareça não ter um foco claro, como em suas obras passadas, esse foco existe e é trata de um assunto que toca na ferida do povo americano como nenhum dos outros o faz: as prisões americanas.

Não só as prisões “de verdade”, onde presos são torturados e tradados como lixo — aproveitando para tratar da questão racial que, inevitavelmente, surge quando esse assunto é abordado — e como isso só torna tudo pior, mas também as prisões do dia-a-dia. Os locais de trabalho que são verdadeiras prisões onde o bem-estar do trabalhador não é uma prioridade; as escolas que prendem os alunos com inúmeras “horas de aula”, toneladas de dever de casa e provas padronizadas que não tem um resultado que as justifique; as universidades que prendem seus alunos para a vida com dívidas estudantis gigantescas; a prisão social que muitas mulheres se veem em; ou a prisão histórica de ignorar seu passado negro fingindo que ele nunca existiu.

O Invasor Americano pode parecer bobinho e alegre, com Moore viajando e mostrando o que há de melhor em vários países, mas ele inevitavelmente deixa você com um gosto bem amargo ao final. Moore usa de todo seu sarcasmo e ironia para mostrar como os EUA (e, por que não, vários outros países do mundo) tem muito o que melhorar ainda. Mais triste ainda é, ao final do documentário, Moore constatar que muitas dessas ideias tiveram origem em seu próprio país. Se o tapa na cara já não fosse suficiente, ele vem com uma marretada.

Sim, o documentário é bastante tendencioso e trata de temas complexos com uma simplicidade que talvez não se aplicasse (como quando mostra um gráfico “apenas ilustrativo” para o fato dos americanos gastarem mais para ter os mesmos “benefícios” que os franceses tem pagando seus “um pouco mais caros” impostos). Essa é sua principal falha. Mas Moore deixa claro que seu objetivo é mostrar as boas ideias, que esses países também tem os seus problemas, e ponderar se essas ideias, talvez, funcionariam nos EUA… mostrando que seu país não é perfeito, está longe disso, mas pode mudar. E nesse ponto ele é implacável.

Nota: ★ ★ ★ ★ ☆

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: